Desactualizado e Desinteressante

Versão online de jornal inexistente. A mesma falta de qualidade ao seu dispor.


sábado, Novembro 01, 2008

32 - UMBIGUISMO

Olá, caríssimas suecas! Olá, restantes pessoas banais.

Ora bem, para variar, hoje apetece-me dizer bem de alguém... deixa ver de quem há-de ser... ah, já sei! De mim mesmo. Boa ideia, ora aí está alguém com quem eu simpatizo bastante e que já merecia ser elogiado por mim. Como dizia ironicamente alguém, "a modéstia é uma das minhas inúmeras qualidades".

Vou mostrar-lhe alguns recortes muito actuais (ano 2003) relativos a referências a este blogue realizadas em blogues de pessoas menos dementes do que eu. Ligeiramente atrofiadas no dia em que escreveram os textos, digamos. Pronto, doidas dos cornos. Soa melhor.

Obviamente que, sendo isto uma homenagem ao meu umbigo, só irão ver as referências elogiosas.

Isto no fundo é uma forma de provar que não estão sozinhos nesta calamidade...sim, já houve mais pessoas a cair no erro de entrar neste blogue no passado. Algumas não conseguiram sair e acabaram mesmo por ser internadas em hospícios (Marta, espero que os senhores doutores te estejam a tratar bem. Larga essa faca. Não, não voltes a espetar nesse senhor.)

Depois de todos os elogios que se seguem, estejam à vontade para preencher os comentários com insultos.

Aquilo que irão observar é uma espécie de mistura de Mourinho ("I think i'm special!") com Benfica ("Eia, no passado é que éramos famosos!")



- Agradecimentos ao Blogue Abrupto, daquele senhor de barbas que diz que é do PSD, responsável pelo crescimento exponencial de visitas a este blogue. Não sei o que lhe aconteceu, não devia estar muito lúcido na altura. No entanto, se ele diz que é do PSD e passa a vida a dizer mal do partido, se diz bem deste blogue, é porque o acha uma bosta.
Peço desculpa pela redundância, não volto a dizer as palavras bosta e Benfica no mesmo texto:


"...Desactualizado e Desinteressante, valem bem a pena do nosso bem mais escasso, o tempo."
Pacheco, confessa lá, o que era isso que fumaste?


- Agradecimentos também ao blogue Gato Fedorento pela referência ao meu texto n.º 10, mais concretamente pelo texto de Ricardo Araújo Pereira, numa altura em que estávamos longe de imaginar que ele se tornaria no mais brilhante comediante português de todos os tempos (também não sei o que bebias na altura, pá.):



- Agradecimentos também ao extinto blogue Pastilhas, escrito por um dos mais fantásticos escritores portugueses. Sim, porque Miguel Esteves Cardoso não é apenas brilhante por ter trazido ao mundo duas filhas gémeas boas como milho:


Pronto, vou abreviar, agradecimentos a estes que se seguem e a muitos outros que estão aí na coluna à direita:












quarta-feira, Junho 06, 2007

31 - REGRESSO

Pois é... ( está bem, "pois é" talvez não seja a forma ideal para se começar um texto, mas apetece-me começar assim e eu é que sou o director desta versão online de um jornal inexistente. É bom ser director!)

Estamos hoje aqui reunidos para assistirmos a uma descrição do motivo que me levou a ser internado pela quinta vez no único hospital psiquiátrico onde as enfermeiras apenas usam tangas.

Vamos assistir aqui neste parágrafo. A nota de internamento continha desta vez a seguinte descrição: indivíduo que interpreta qualquer palavra como sendo sinónima de sexo.

Há poucos dias (3 anos), este indivíduo (sim, eu sou um indivíduo) escreveu num outro blog em parceria com uma sua amiga, que assinava Jane. O primeiro texto escrito por ela, era breve e dizia o seguinte:
Ano Novo:

Perguntaram-me ontem se entrei no Ano Novo com o pé direito... Na verdade, depois de rever vezes sem conta a noite, não cheguei a descobrir... O facto é que ia a correr monte acima para ver o fogo de artifício e quando cheguei já estava em 2004 sem saber...

Digo-lhes sinceramente - perdão, vou mudar para o singular porque só está uma pessoa a ler isto, digo-lhe sinceramente - alto, eu não me trato por você! Vou ter que recomeçar a frase. Esta pontuação está a ficar bastante confusa. Digo-te sinceramente, Jomes Band, este texto que ela escreveu é obsceno para qualquer pessoa! Não achas? Sim, eu acho. Ah, bem me parecia.
Como é que me podem ter internado por ter escrito o seguinte texto, em resposta ao texto da Jane? Vamos ler um excerto. Tu, lê um excerto:

Ano Novo?
(...)

...o próprio título faz-nos logo lembrar de sexo. Repare-se…Ano Novo no plural fica “Anos Novos”…só alguém muito ingénuo não veria aqui uma clara referência aos ânus novos ou ânus virgens, com uma pequena alteração na grafia.

Na primeira frase, a Jane escreve: "Perguntaram-me ontem se entrei no Ano Novo com o pé direito".
Há alguém que não repare que aqui existe uma clara referência às pessoas que têm fetiches com pés?

Segunda frase: "Na verdade, depois de rever vezes sem conta a noite, não cheguei a descobrir...".
Aqui, fala-nos em “vezes sem conta”, ou seja, em orgasmos múltiplos. Fala também em “noite” (uma altura propícia para o sexo) e acaba por dizer que não chegou a descobrir, colocando umas reticências. Referia-se ao cobertor, que naquela altura ainda cobria o seu corpo nu.

Na terceira e última frase, não desiste...volta a falar sobre sexo! Vamos ver:
"O facto é que ia a correr monte acima para ver o fogo de artifício e quando cheguei já estava em 2004 sem saber...".
Onde se lê monte, pode ler-se claramente uma referência ao monte de Vénus.
O fogo de artifício representa o orgasmo do homem, com a consequente ejaculação a fazer lembrar um fogo de artifício.
Ao terminar com "quando cheguei já estava em 2004 sem saber", tenta transmitir a ideia de que o tempo passou tão rapidamente que nem se apercebeu que já estava em 2004, ou seja, está a sugerir que determinada relação sexual foi demasiado rápida. Não é isto uma referência claríssima à ejaculação precoce?

(...)


segunda-feira, Outubro 24, 2005

COMUNICADO

Devido a problemas relacionados com o nosso péssimo serviço de comentários - anteriormente disponibilizados pelo site ComentarFree, que não recomendo - foram apagados todos os comentários dos "leitores" desde o dia 12/06/2003 até ao dia 24/10/2005. Pelo facto, peço desculpa.

x (não sabe assinar)
Acessor do Subdirector-Geral Adjunto Interino

quinta-feira, Fevereiro 17, 2005

30 - QUESTÕES DE COERÊNCIA


Através do seu blog e com o título "iliteracia eleitoral", o Prof. Vital Moreira - do Partido Comunista...não, Socialista, agora é do PS... desculpem, eles estão sempre a trocar de partido e eu fico confuso - insurge-se... perdão, isto está mesmo uma confusão! Vou tentar começar novamente a frase.

No tal texto, o Prof. Vital Moreira insurge-se contra a "rotunda iliteracia" demonstrada num cartaz em Coimbra, no qual se escreve em letras enormes «co-inceneração» em vez de «co-incineração». O Prof. chega mesmo a questionar se o deputado apresentado no cartaz não deverá ser "chumbado" por tamanha falha.

Se lermos mais um pouco do seu blog, o mesmo Prof. Vital Moreira utiliza a certa altura a palavra «correlegionário» ( texto com o título "Não se faz...")

Eu não sou especialista na matéria... eu também não queria ser chato, mas acho que em português se escreve «correligionário» ( estará mais relacionado com religiões do que com legionários, não?) .

Mas neste caso eu compreendo: o Prof. Vital Moreira possuirá um teclado especialíssimo com a tecla E ao lado da tecla I e ter-lhe-á fugido o dedo. Ou então... terá uns dedos de enormes proporções... ou serão as unhas? Será o Super-Homem?

Será que emprestou o original teclado ao autor do cartaz? Será que o Prof. é o autor dos cartazes que critica? Será hora de eu estar acordado a escrever estas coisas?





Adenda:
Relativamente a este texto, recebi um e-mail do Prof. Vital Moreira que, de forma educada e simpática, me agradeceu a correcção da sua falha.

A esse propósito, gostava de esclarecer um pormenor que poderá ter ficado implícito nas minhas palavras: apesar de ser indicado como estando ligado à área do PS, o Prof. Vital Moreira não tem neste momento qualquer filiação partidária.
Pronto, agora só falta corrigirem o cartaz de Coimbra e volta tudo ao normal.

terça-feira, Fevereiro 01, 2005

29 - JORNAL de SINTERESSANTE ( Edição n.º 2 )

quinta-feira, Janeiro 29, 2004

26 - DENTO-MASOQUISTA

Uma visita ao dentista é uma das mais agradáveis experiências da vida de um ser humano. A menos que esse ser humano não seja masoquista.

Como toda a gente sabe, o masoquismo surgiu num século qualquer, no preciso momento em que se inventou a profissão de dentista.

O procedimento do masoquista paciente era muito simples: começava por ir voluntariamente a um consultório. De seguida, o dentista infligia-lhe uma dor fortíssima. Como se não bastasse, o paciente ainda lhe pagava no fim da tortura. Nos dias seguintes, o paciente usufruía de dificuldade em alimentar-se, só podendo mastigar com 2 dentes do lado esquerdo do céu da boca. Teria também o prazer de dormir mal, acordando a meio da noite com a almofada tingida de vermelho, que por coincidência era exactamente a cor do seu sangue.

Mais tarde, quando voltava a adormecer, começava a ter pesadelos. Vinham-lhe à memória algumas passagens da sua aventura no dentista...
..........

Dentista - Se doer muito, avise-me. Está a doer, agora?

Paciente - Ahahn!

Dentista - Isto não dói nada.

Paciente pensando - ( pois, pois... a ti não deve doer )

Dentista - Não custa mesmo nada!

Paciente pensando - ( será que te estás a referir ao preço da consulta? )

Dentista - Aqui dói?

Paciente - Ahn!

Dentista - Hoje está de chuva.

Paciente pensando - ( será que reparaste que com a boca aberta não consigo conversar?)

Dentista - Tem chovido muito ultimamente.

Paciente pensando - ( qual será o código para eu dizer que me está a doer? Ele não distingue entre ahn e ahahn. )

Dentista - Prevêem chuva para o resto da semana.

Paciente pensando - ( aaaaaaaaaaaiiii! E se te concentrasses no teu trabalho e te deixasses de conversas de circunstância? )

Dentista - Mudando de assunto...o que acha da actual conjuntura nacional?

Paciente - ahn aahn muhan chaamum ahaam

Dentista - Sim, eu também acho.

Paciente pensando - ( também achas o quê? Isto é um monólogo e ele finge que percebe o que eu digo?)

Dentista - Aliás, isso tem-se reflectido na actual situação económica do Bahrein.

Paciente - Vhahi phro cahahlho

Dentista - Claro, o trabalho é muito importante.

Paciente - ( trabalho?! Ainda bem que é surdo.)

Dentista - Agora vai doer só um bocadinho...

Paciente - aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

....

Aqui no fim deveria escrever uma conclusão, mas estou cheio de sono. Vou dormir. Até à próxima.

terça-feira, Dezembro 23, 2003

25 - FELIZ NATAL

    Na tarde de ontem, o estabelecimento no qual estou internado teve a honra de ser contemplado com o inenarrável espectáculo do Natal dos Hospícios. Ou melhor, honra apenas para os cantores que lá passaram a tarde a martirizar-nos com os seus gritos estridentes, claro está.

    Para além do nome, ainda não percebi qual era a relação entre aquele espectáculo e o Natal. Quando entrou o segundo cantor, com os sucessos “Lá em cima está o Tiro Liro Liro, cá em baixo está o Tiro Liro Ló” e o “Comer e beber, oh trrim tim tim, passear na rua”, alguns dos meus colegas menos dementes, para não sofrerem mais, tentaram imolar-se pelo fogo com o lança-chamas que pedi ao menino Jesus no ano passado. Tentaram, mas em vão. Os seus tímpanos rebentaram antes disso, graças a uma nota mais aguda deste segundo cantor. Obviamente, tiveram que ser transferidos para um Hospital. Quando descobrirem que na tarde de hoje vão ter que aguentar um Natal dos Hospitais, temo que aconteça o pior…

    Eu, graças ao apoio moral e físico das minhas enfermeiras particulares, consegui resistir a esta tentativa de assassinato em massa (não sei a que propósito passei a falar da ementa do almoço, mas adiante) e vim até este blog esquisito que criei num dia de profunda loucura, apenas para desejar um feliz Natal a todos os que lerem isto. E as melhoras.

    Se não nos virmos entretanto (o que é natural, porque provavelmente não haverá encontros de hospícios nos próximos dias), queria também desejar-vos umas boas entradas. E saídas, já agora. Acho que até podiam aproveitar para entrar e sair repetidamente, à meia-noite. Mas de sexo falaremos noutra altura.

terça-feira, Novembro 18, 2003

24 - JORNAL de SINTERESSANTE ( Edição n.º 1 )

segunda-feira, Setembro 15, 2003

22 - O TEXTO QUE SE SEGUE NÃO INTERESSA MINIMAMENTE

  Desde o dia 23 de Agosto até hoje (15 de Setembro), visitei variadíssimas vezes este blog.

  Sempre que aqui chegava, reparava num facto muito estranho: o autor desta coisa tinha parado de escrever há quase um mês. Tendo noção de que o hospital psiquiátrico onde o autor está internado possui uma grandiosa sala de computadores, não conseguia perceber qual a causa da desactualização.

  Foi nessa altura que me surgiu a ideia: “Queres ver que o autor deste blog esquisito sou eu?”.

  Fiquei um bocado perturbado quando descobri que "sim" era a resposta certa para a pergunta anterior. Por outro lado fiquei contente por ter acertado na resposta sem a ajuda dos 50/50 e sem a ajuda do público. Quando descobri que afinal não estava num concurso voltei a ficar perturbado. No entanto, logo de seguida, voltei a ficar contente por não me encontrar num antigo concurso apresentado por um actual arguido.

  Voltei a ficar perturbado quando introduzi uma password e tive acesso a uma folha branca na qual estou a escrever este texto. Confirmava-se que era mesmo eu. Ainda mais perturbado fiquei quando li melhor alguns dos textos que se encontram aqui por baixo (felizmente não vou reler este).

  Este gajo é doido! Eu? Ah, pois... eu sou doido!


PS: Estive a ler as contra-indicações destes medicamentos que me injectam. Não percebi o significado de “Este medicamento não deve ser utilizado em doentes cujo acesso à escrita em blogs não esteja impedido”.

sábado, Agosto 23, 2003

21 - ROTEIRO DE FIM-DE-SEMANA

  Amanhã é Domingo! Não é um bom dia para se sair de casa, a menos que se goste de longas filas de trânsito. No entanto, vale a pena passar umas horas em filas se o nosso objectivo for alcançado: chegar ao local de culto dos Domingos e Feriados. Como já deu para perceber, nos dias de hoje, esse local de culto denomina-se Hipermercado.

  Dever-se-á preparar a visita ao hipermercado com alguma antecedência. Mas como hoje é Sábado, vou tentar dar-lhe umas dicas rápidas sobre a organização da sua excursão, de modo a que amanhã já possa ter a honra de visitar este local.

  Em primeiro lugar, deveria ter comprado uma revista de moda com a colecção Primavera-Verão para hipermercados. Como ainda não a comprou, poder-lhe-ei adiantar que o fato de treino já não está muito na moda (mesmo assim deverá levá-lo dentro de um saco). É mais aconselhável, por exemplo, o uso de camisolas de alças, calções e sandálias, sendo o boné opcional. Nos dias anteriores, deverá praticar o acto de cuspir a longas distâncias, de modo a que no Domingo possa competir com as pessoas que se encontram a chegar ao hipermercado em simultâneo consigo.

  Dado que habitualmente ainda existem nos corredores do local de culto alguns centímetros quadrados livres, é aconselhável que vá acompanhado(a) com os seus 15 filhos, pais, sogros, tios e primos, de modo a preencher as lacunas que existem no meio da multidão.

  Ao fim de algumas horas, quando já estiver a entrar nos corredores de acesso ao hipermercado, deverá imitar a maior parte das pessoas que lá se encontram, indo sempre a olhar para as montras com uma expressão de profunda felicidade por se encontrar no local e atropelando distraidamente com o seu carrinho de compras, todos os que se cruzam consigo.

  A certa altura, o momento de êxtase do dia aproximar-se-á… uma roleta de prémios! YES! Um animador cujo ídolo deverá ser o João Baião, dar-lhe-á a oportunidade de receber gratuitamente magníficos prémios, como uma fantástica esferográfica ou até, quem sabe, um vale de desconto de 50 cêntimos para compras superiores a 500 euros. Não se deixe ficar junto à roleta por mais de 3 horas…continue o seu caminho porque ainda existirão mais motivos de interesse mais adiante.

  Quando ouvir uma voz vinda das alturas, dizendo algo como “ Promoção – Postas de bacalhau demolhadas e ultracongeladas a 12 euros e 99 cêntimos o quilo ”, estará na hora de mudar de roupa. Tire a camisola de alças e vista o fato de treino que leva no saco. Logo de seguida, deverá correr…correr muito! Repare para onde se está a dirigir a maior parte da multidão e corra o mais que puder. Mesmo que não goste de bacalhau, vale sempre a pena investir em produtos que se encontram em promoção! E já que veio ao hipermercado, talvez seja uma boa altura para fazer compras. Claro que a parte das compras é opcional. O mais importante é o magnífico ambiente de multidão!

  Na parte final, quando a voz vinda das alturas já não lhe sugerir mais produtos em promoção, deverá dirigir-se às caixas de pagamento. Ao deparar-se com 50 filas nas caixas de pagamento terá duas opções:
  1 - optar pela fila com menos quilómetros de comprimento.
  2 - reparar nas empregadas que se encontram nas caixas e escolher a fila correspondente à empregada com melhor aspecto e com decote mais generoso.

  Se está a ler esta mensagem e é do sexo feminino, deverá optar pela primeira opção. Se é do sexo masculino, deverá escolher entre a opção 2 e a opção 2, tendo em conta que já que irá esperar mais 5 horas, pelo menos terá uma boa paisagem com que se distrair.

  Quando chegar a casa, vai acabar por descobrir que terá que ir jantar fora, visto que detesta aquilo que comprou: 50 quilos de postas de bacalhau demolhadas e ultracongeladas.

  Boa viagem!

sábado, Agosto 09, 2003

20 - SOLIDARIEDADE

  Gostaria apenas de informar que estou totalmente solidário com os funcionários públicos de Berlim (ver post 19). Como tal, dado que os meteorologistas prevêem temperaturas superiores a 29 graus para a próxima semana, vou fazer-vos o favor de não actualizar este blog durante esse período.

PS:  Vou deixar as portas do blog abertas…continuem a passar por cá e estejam à vontade! Podem sempre escrever comentários, carregar nos botõezinhos, colaborar ali em baixo nas estatísticas de interesse duvidoso, contar o número de letras de cada post…enfim, muita coisa. Para além de tantas possibilidades, se este blog também desse para andar a cavalo e para ir para a praia, quase superaria as qualidades daqueles pensos higiénicos dos anúncios! ( Hmm...Este post scriptum está mais extenso do que a mensagem principal! Será melhor apagar e escrever outra coisa qualquer? Não, já passa da uma da manhã e a temperatura está muito alta...vai ficar assim. Senhora enfermeira, carregue-me ali no botão Post & Publish, por favor. )

terça-feira, Agosto 05, 2003

19 - VIVA A PRAIA!

Diário Digital (05/08/2003):
Berlinenses dispensados de trabalhar quando a temperatura estiver a mais de 29 graus centígrados.

Os funcionários públicos berlinenses serão dispensados de trabalhar quando a temperatura na cidade atinja os 29 graus, anunciou esta segunda-feira o ministro do Interior alemão, Ehrhart Koerting.




Se esta medida também fosse aplicada em Portugal:



Casa de dois funcionários públicos do Algarve, 8 da manhã:
- Maria, acorda! São 8 horas. Consegues ver o termómetro, ali fora?
- Sim, Manel. 31 graus! Podemos continuar a dormir descansados porque hoje também não temos que trabalhar.



Escola na fresquinha cidade de Beja, 5 da manhã:
- Nesta primeira aula, iremos começar por…desculpem, chegámos aos 29 graus. Assim não consigo dar a aula! Tentarei novamente no próximo Inverno. Boas férias!


Repartição de Finanças, 9 da manhã:
- Hoje não posso atender mais ninguém, desculpe. 29 graus!
- No meu termómetro diz 28,9.
- O seu termómetro deve estar mal calibrado. Veja aqui: 29,0 graus!
- Vocês bufam nos termómetros para os aquecerem. Isso não vale! E para além disso, quando aquela nuvem tapar o sol, a temperatura ainda vai descer mais.
- Nessa altura, voltarei a atendê-lo... neste momento, estamos fechados! 29,0 graus!



Boletim meteorológico:
- Amanhã, prevê-se uma tarde de descanso para todos os funcionários públicos da região Sul. A temperatura manter-se-á acima dos 30 graus, a partir das 2 da tarde.


Funcionário público, a caminho do trabalho:
- Senhor transeunte, poder-me-ia dizer a temperatura?
- 25 graus
- Eh lá! Já devia estar a trabalhar!

terça-feira, Julho 22, 2003

18 - DILEMA

Estou num dilema entre estas duas hipóteses:

Hipótese A - deverei voltar ao hábito inicial de escrever várias vezes por semana, de modo a recuperar a média de 200 visitantes por dia, não me preocupando com a qualidade do que escrevo?

Hipótese F: deverei continuar a ir para a praia e a escrever poucas vezes por semana, não me preocupando com o número de visitas nem com a qualidade do que escrevo?

Aceito sugestões através dos comentários disponíveis no final desta mensagem ou através do e-mail desactdesint @ iol . pt .

Se não se contentarem com os comentários:

- organizem manifestações espontâneas de top models semi-nuas apoiando a hipótese F!

- enviem abaixo-assinados para a Assembleia da República a pedir o meu regresso a nível intensivo, exigindo a adopção imediata da hipótese A e a elevação da Praia da Rocha a Concelho!

- façam autocolantes com letras A e F e colem-nos nas costas dos transeuntes distraídos!

- ofereçam frigoríficos aos vizinhos para os incentivar a votar na vossa hipótese preferida!

- façam cortes de estrada nas localidades cujo nome comece por A ou F, para livremente exprimirem a vossa opinião!

- faç…
Sim, senhora enfermeira! Eu sei que os comprimidos deveriam ter sido tomados há mais de uma hora…sim, eu não volto a fugir para esta sala e vou voltar para a minha cama! Desculpe, senhora enfermeira. Estou muito arrependido! A propósito, essa roupa interior fica-lhe muito bem…

segunda-feira, Julho 21, 2003

CORREIO DO LEITOR (I)

Para provar que infelizmente era falso o boato que circulava pelos jornais, em que se insinuava que JB havia fugido para uma ilha deserta com a actriz e cantora Jennifer Lopez, abandonando definitivamente este blog, aqui estou eu, no mesmo hospital psiquiátrico do costume, mais louco do que nunca.
Durante a semana em que me abstive de escrever neste blog, incentivei as minhas colegas de hospício a enviarem-me para o e-mail desactualizado @ sapo.pt , alguns dos textos que costumam escrever nos seus diários.
Das dezenas de textos que têm sido recebidos, começo por destacar este que se segue, pela sua excelente qualidade de escrita e de humor:

Texto enviado por M. :
Nove da noite, o tic tac do relógio na parede branca asséptica é de tal forma ensurdecedor que se consegue sobrepor aos gritos histéricos nos corredores. JB está vidrado na cama ao lado. Após a crise que teve hoje à tarde, a dose de calmantes que levou apenas lhe permitem olhar siderado para o tecto deste quarto. Estou aqui há pouco mais de uma semana... Chamaram-me maníaco-depressiva, como se não fossemos todos um pouco. Se rio é porque estou contente, se choro porque estou triste, se me ponho aos berros... bem, alguma razão hei-de ter. Será assim tão condenável um indivíduo extravasar as suas emoções? Tic tac... tic tac... Este som monocórdico, rítmico eriça-me até aos cabelos!!! Certo, admito, sou muito sensível, emociono-me muito facilmente, não fervo em pouca água, fervo em água nenhuma! Mas, isso é doença? Tic... tac... Não fosse a agulha espetada na mão como se de trela se tratasse já me tinha levantado e arrancado aquele maldito relógio! JB balbucia qualquer coisa, raios relógio, abstém-te de fazer barulho! Pára uma vez que seja e deixa de marcar esse andamento incessante! “Marcelooo..., Marcelo...” olha para mim enquanto a língua, entaramelada, tenta pronunciar esta palavra como se pertencesse a um qualquer dialecto checo. É isso, está na hora do Marcelo.
Pego no controlo remoto, aparelho fantástico este, e ligo a televisão. Passa o Jornal Nacional na TVI e o prof. Dr. Marcelo Rebelo de Sousa está na sua habitual crítica semanal. JB fica siderado, os olhos absorvem cada gesto do homem, bebem-lhe todas as palavras como se fosse um manjar dos deuses capaz de lhe restabelecer as forças, e a sanidade...
Verdade seja dita, o homem é um colosso. Até eu, uma leiga nestas matérias, fico presa à tela. Vários temas na praça: morte de David Kelly, Tony Blair e seu possível afundanço... (Tony, Tony, e agora amigo? Como te vais tu safar disso? Mania de ingleses se acharem melhores que o mundo, veja-se a “Utopia” de Thomas More, e no final fazem tanta ou mais asneira que nós, aqui à beira mar plantados), segredo de justiça (ainda existe? bahahahahahahaha), Casa Pia (mais um escândalo bem à moda portuguesa, lembram-se do ballet rose?), etc. etc. etc. (os medicamentos não me permitem mais que alguns escassos minutos de concentração). E o relógio continua, tic tac.... persegues-me relógio?
“Vamos então aos livros”, diz o comentador político. Verdadeiro líder de opinião, possível agitador de massas, como qualquer líder que se preze mesmo que o não queira ser. É curiosa a forma como se entusiasma a falar sobre a nação, sobre as notícias. Gesticula expansivamente e levanta as sobrancelhas de uma forma completamente deliciosa. JB continua hipnotizado, completamente absorvido. “O ciclo menstrual das baleias e sua relação com a vida sexual das minhocas, brilhante livro sobre a vida animal e as relações que se podem tirar dos estudos efectuados no ano passado pelos alunos da Escola C + S de Arca de Água, das edições alfa?”. Não, não disse isto, mas caso dissesse o resultado iria ser o mesmo. Marcelo Rebelo de Sousa tem um tal impacto na sociedade, dada a sua imagem, que todos acreditariam que este seria um possível best seller; livro obrigatório em todas as boas casas de família. Não JB, não vou comprar livro nenhum sobre baleias e minhocas. Tic.. tac..
Está a chegar o fim. Curiosidade final apontada: o caso Carlitos. Ao que parece os britânicos acusaram-nos de reter a criança, com lábio leporino e fenda no palato, algures numa província perto do sul de Espanha onde eles costumam vir “jogar golfe e comer sardinhas”!!!! Quê??? JB desmancha-se a rir. Arranco a agulha, um fio de sangue escorre-me pela mão (sai o veneno). Rio-me acocorada ao lado da cama. Raio dos britânicos, até parece que fomos nós quem abandonou a criança, que é sobre nós que paira a dúvida sobre se a invasão ao Iraque foi ou não legítima!!! Num repente corro até à janela aberta, as enfermeiras já se aperceberam do rebuliço e, antes que me prendam outra vez, berro em plenos pulmões “Eu dou-vos as sardinhas ingleses de” Tic… tac...

M.
"

sexta-feira, Julho 11, 2003

17 - PRIMEIRA ENTREVISTA

Durante um período de uma semana muitíssimo trabalhosa a apreciar bikinis e a absorver raios ultravioletas, também me diverti a entrevistar alguns dos doentes do hospital psiquiátrico em que fui internado recentemente.
Descobri que existe um novo doente cuja insanidade mental atingiu um nível muito superior ao meu. Basta reparar na razão do seu internamento: filiou-se no partido Nova Democracia, de Manuel Monteiro!
Está neste momento na ala de alta segurança, após variadas tentativas de assassinato (com uma esferográfica) dos doentes cujo primeiro nome fosse Paulo.
Desloquei-me à zona de alta segurança e esta foi a entrevista possível:

Doente mental JB: Truz Truz! Poder-me-ia abrir a porta e conceder-me uma entrevista, colega?
Doente mental JF: Abrir a quê? Porta? Portas? Aqui não há Portas, sua besta! Isto designa-se por “abertura na parede destinada a comunicar com o exterior ou com outra dependência do edifício”. Está a tentar provocar-me com essa palavra?
Doente mental JB: Peço desculpa. Poder-me-ia abrir a abertura na parede destinada a comunicar com o exterior ou com outra dependência do edifício e conceder-me uma entrevista, colega?
Doente mental JF: Depende, o seu primeiro nome é Paulo? Tem algum Paulo na família?
Doente mental JB: Hum… tenho alguns familiares com esse nome...
Doente mental JF: Então fica aí fora a entrevistar-me!
Doente mental JB: Como queira, vou então dar início a esta entrevista deste lado da por..abertura. 1...2...3! Começou!
Tinha tomado os comprimidos quando decidiu filiar-se na Nova Democracia?
Doente mental JF: Não, mas isso não teve influência. Eu fazia parte de outro partido e quando descobri que o Dr. Manuel Monteiro não iria conseguir voltar democraticamente à sua liderança, sugeri-lhe que espetasse uma caneta nas costas do actual líder. Ele não aceitou a sugestão e lembrou-se de se vingar dele de outra forma: fundando um novo partido com uma democracia nova, diferente.
Doente mental JB: E mudou de partido porquê?
Doente mental JF: Se ele mudou, eu também tinha que mudar! Para mim, a política resume-se a uma pessoa e a tudo o que ela defende. Eu sempre gostei de lamber as botas às pessoas. É um fetiche que eu tenho.
Doente mental JB: E qual é o programa desse partido? É igual ao do outro?
Doente mental JF: Não sei, ainda não li, mas isso não é importante.
Doente mental JB: O que é importante, então?
Doente mental JF: O importante é arranjarmos um tacho para o nosso mestre. Se não der resultado, voltamos a fundar um novo partido e passamos a atacar este.
Doente mental JB: Mas não conseguem divertir-se com brincadeiras mais bonitas? Podiam jogar às escondidas ou andar de baloiço…
Doente mental JF: Jogar aos partidos políticos é mais interessante, embora não negue que andar de baloiço também seja muito divertido.
Doente mental JB: Essa fixação por baloiços ou parques infantis não o levou a ter o seu telemóvel sob escuta num processo muito em voga actualmente?
Doente mental JF: Vá ver se eu estou na esquina...
Doente mental JB: A esquina é uma referência à prostituição infantil?
Doente mental JF: Continua a provocar-me! Olhe que eu abro esta abertura na parede destinada a comunicar com o exterior ou com outra dependência do edifício e dou-lhe um murro no focinho!
Doente mental JB: Focinho? Também tem fetiches com animais? Abra lá isso! Eu sei defender-me...sou bom à defesa!
Doente mental JF: Ministério da Defesa? Isso também me irrita profundamente, sua besta! Não presto mais declarações, palhaço.
Doente mental JB: Muito obrigado pela gentileza de me conceder esta entrevista. Fico muito grato pela sua grande simpatia e disponibilidade.

quinta-feira, Julho 03, 2003

16 - ESPANHOLAS

1 de Julho de 2003

- A população aos berros em Esmoriz
- Ameaça de bomba
- Corte da linha ferroviária do Norte
- Corte da estrada nacional 109
- Um presidente da Junta a afirmar: “Avizinham-se momentos de luta!”
( não, isto não é a letra da música “Momento”, do Pedro Abrunhosa )

  A minha televisão estava nervosa e relatava-me este cenário tenebroso!
  “O que se passa? Será que fomos invadidos pelos espanhóis?”, pensei eu sobressaltado…
  “Será que fomos invadidos pelas espanholas?”, pensei eu radiante e mais optimista…

  Pedi calma à televisão! Pedi-lhe também que me explicasse com calma o que se estava a passar. Subitamente, surgiu no aparelho uma repórter que se preparava para entrevistar um dos manifestantes. Fiquei atento! Finalmente, o mistério iria ser desvendado:

Repórter: “Senhor manifestante, peço desculpa…poder-me-ia explicar quais seriam as vantagens para esta localidade, caso fosse promovida a Concelho?”
Senhor Manifestante: “Seriam muitas!”
Repórter: “Dê-me um exemplo, por favor.”
Senhor Manifestante: “Não me estou a lembrar agora…”

  E o senhor manifestante lá continuou o seu caminho, a gritar furiosamente contra algo.

  Virei-me para o espelho e exclamei para a minha pessoa reflectida: “Estão a gozar comigo? Apanhei demasiado sol e estou a delirar? O que terá acontecido? Onde estão as espanholas? Chicas guaaaaaappppaaaaaaaaas”

  Até que surge a explicação! Estes senhores estão a manifestar-se e a tentar rebentar com tudo porque a Assembleia da República ainda não analisou a elevação das suas localidades a Concelhos? Afinal foi apenas isto que aconteceu? E eu é que estou internado num hospital psiquiátrico?

  Estou revoltado! Declaro-me contra as manifestações! Como tal, convoco todas as portuguesas (e espanholas) para uma Manifestação Contra as Manifestações, amanhã às 20 horas num local discreto!
Regra para as manifestantes cuja idade ultrapasse os 18 anos: é proibido o uso de roupas. A frase anterior tem o patrocínio do DIAP.


PS privado: Sara, desculpa a demora.

domingo, Junho 29, 2003

15 - ORGULLO EN EL IDIOMA PORTUGUÉS


- Treinador português, na sua mediática apresentação como novo treinador de uma das melhores equipas do Mundo, perante jornalistas dos mais variados países:
"Es un honor entrenar al mejor club del mundo y …''
- Jogador português, ao receber um prestigiado prémio da revista France Football, perante jornalistas dos mais variados países:
" Es un trofeo que tiene un prestigio enorme y … "
  Ahora en francés:
" C'est une coupe qui a un prestige énorme et … "

- Jogador português, ao receber o prémio de melhor jogador do Mundo, perante jornalistas dos mais variados países:
" Es un privilegio ganar este premio y considero que también lo merecían los dos compañeros que hoy me acompañan… "

domingo, Junho 22, 2003

13 – DIA-A-DIA DE UM SER COM PODERES DIVINOS

  Quer saber se este calor vai continuar, dispensando os meteorologistas? Quer saber tudo o que lhe vai acontecer nos próximos dias ou anos? Quer saber qualquer coisa sobre o futuro?

  Não, a solução não é esperar pelo “prognóstico no fim do jogo”! Através de consultas, através de telefone ou através das formas mais inimagináveis de esbanjar dinheiro, pode sabê-lo já!

  É muito simples! Basta contactar umas criaturas que são uma espécie de deuses com um poder de análise fenomenal e que, imagine-se, olhando para os astros, conseguem prever tudo o que irá acontecer no futuro. A primeira previsão acertada que costumam fazer é o seu próprio enriquecimento à custa do povo mais incauto e supersticioso. São auto-denominados astrólogos e defendem uma pseudo ciência chamada astrologia. O seu futuro deverá passar pela colaboração com meteorologistas, Serviço de Informações de Segurança ou Polícia Judiciária.

  Como será a vida de um astrólogo? Suponho que seja tão monótona e desinteressante como este blog. Vamos seguir um dia ao acaso:

  De manhã, um astrólogo acorda e pensa: “Ora bem, vou ali ao meu computador portátil para ver como vai ser o dia de hoje”
( Nota 1: um astrólogo famoso como o Paulo Cardoso, por exemplo, tem sempre um portátil por perto, que utiliza como substituição da bola de cristal, sempre que é convidado para uma aparição na televisão. A bola de cristal já caiu em desuso e para a mentalidade dos astrólogos, um computador deve ser um objecto mágico )

  Dirige-se para o computador, analisa um programa que traça umas linhas aleatórias de modo a parecer sofisticado e fica a saber tudo o que lhe vai acontecer no dia que está a começar. Se introduzir a data e a hora de nascimento de algumas das pessoas que conhece, poderá também saber como será o dia dessas pessoas.
( Nota 2: cuidado, não divulgue a sua data de nascimento…nunca mais poderá viver discretamente! Caso a divulgue, os astrólogos ficarão a saber tudo acerca de si ! Serão uma espécie de Big Brother, sempre a observá-lo e com informações sobre o que lhe irá acontecer de seguida! )

  Depois de descobrir que irá ter mais um dia desinteressante, visto que nada o surpreenderá ( o computador já o avisou de todas as surpresas do dia ), chega a hora de ir registar o totoloto.
( Nota 3: o prémio deste concurso é habitualmente ganho pelos astrólogos. Se está a ler isto e não é astrólogo, aviso-o que deverá concorrer principalmente no período de férias dos astrólogos - altura em que estes se costumam esquecer de registar os boletins - de modo a ter maiores probabilidades de ganhar o primeiro prémio sozinho. O fenómeno dos jackpots, que ocorrem nas semanas nas quais não existe um único vencedor do primeiro prémio, justifica-se através de um ou dois dos seguintes acontecimentos: os astrólogos esqueceram-se de registar os boletins, enganaram-se no preenchimento ou não precisaram de dinheiro naquela semana )

  Após o totoloto, está na hora de escrever os horóscopos para as revistas que serão publicadas no dia seguinte. Este é um trabalho relativamente simples, visto que chegaram previamente à seguinte conclusão: as pessoas pertencem a um signo. Logo, todas as pessoas com datas de nascimento próximas e que se incluam no mesmo signo, têm as mesmas características! Para além disso, o seu futuro é exactamente igual, vá-se lá saber porquê. Não é científico, mas é bonito e dá muito menos trabalho na altura em que for preciso prever o futuro de milhões de pessoas. O facto de na mesma semana se encontrarem horóscopos diferentes, consoante o astrólogo que os fez, é de difícil explicação e está neste momento a ser investigado.

  Ao fim do dia, quando a esposa e os filhos regressam a casa, são recebidos pelo astrólogo com a seguinte frase: “Não me venham dizer como é que vos correu o dia ou descrever o que vos aconteceu hoje! Eu já sei! Li de manhã no meu computador! Agora, podem falar enquanto eu ponho estes algodões nos ouvidos, porque eu já previ de manhã tudo o que vocês me iam dizer e não gosto de repetições. Deixem-me estar sossegado a prever a hora em que a vizinha vai aparecer nua à janela.”.

sexta-feira, Junho 20, 2003

12 - MENSAGEM SUBLIMINAR NA TVI

  “Olá, eu sou a Manuela Moura Guedes e este é o Jornal Nacional!” Esta frase, repetida diariamente, esconde uma mensagem subliminar que ainda não foi desvendada pela maioria dos milhões de telespectadores, que continuam a assistir diariamente a este telejornal da TVI completamente hipnotizados, mantendo-o como um sucesso de audiências.

----- Não perca, já a seguir, neste Jornal Nacional, a história do rapaz que se esqueceu do guarda-chuva em casa, num dia em que chovia bastante -----

  No entanto, como fui internado num novo hospital psiquiátrico sem televisão ( depois de ter sido descoberto no Brasil pelas enfermeiras ), consegui sair do estado hipnótico e comecei a tentar desvendar se existiria mesmo a tal mensagem escondida. Comecei por reparar no seguinte: um segundo antes da apresentadora dizer aquela frase, já toda a gente se apercebeu que aquela senhora é a Manuela Moura Guedes e que aquele é o Jornal Nacional. Sendo assim, para que serve a frase?

----- Não perca, depois do intervalo, neste Jornal Nacional, a história do rapaz que se esqueceu do guarda-chuva em casa, num dia em que chovia bastante -----

  Para que serve a frase? Como é óbvio, tem como único objectivo desviar a atenção dos telespectadores para umas letras ilegíveis e invisíveis que surgem no canto inferior esquerdo do ecrã da televisão. O nosso cérebro analisa a combinação dessas letras com o código que referencia as cores do cenário e através de um processo semelhante a uma hemorragia parenquimatosa, interpreta a seguinte mensagem subliminar, bem mais extensa do que a frase de abertura da apresentadora ( como é que ela se chama? Não faz mal! Já deve ter sido escrito ali para cima ).
  Com tantos parêntesis, esqueci-me de colocar os dois pontos e a mensagem, no final da frase anterior.

----- Não perca já a seguir, neste Jornal Nacional, a história do rapaz que se esqueceu do guarda-chuva em casa, num dia em que chovia bastante -----

  Vou escrever agora. É isto que ecoa disfarçadamente nos vossos cérebros, sempre que começa o noticiário:

“Você está sob o nosso comando! Apesar de estar habituado a um noticiário de 30 minutos, não vai estranhar o facto de continuar a assistir a este Jornal Nacional durante as próximas 15 horas!
Vai ter a oportunidade de assistir a tudo o que se passou nas últimas 24 horas dentro das casas de várias famílias do Interior Esquecido e de assistir quase em directo a todos os crimes e tragédias que ocorreram hoje, ou que irão ocorrer quando entrevistarmos em directo os criminosos. E sabe uma coisa? Você vai gostar! Não vai mudar de canal! Porque você está sob o nosso comando! Este noticiário chama-
-se Jornal Nacional, e possui notícias tão desinteressantes como as de um qualquer jornal da sua região, mas com uma grande diferença: nós repetimos notícias de dias anteriores! Sim! Esquecia-se desse pormenor? Como é que você acha que iríamos arranjar 15 horas de notícias diariamente, ahn? Nós repetimos e você gosta! Você está sob o nosso comando, não se esqueça! Você adora repetições de frases, notícias e anúncios de notícias!”

  Está desfeito o enigma! Nos breves segundos iniciais, o nosso cérebro absorve esta comprida mensagem e só recupera de madrugada, perto do final do Jornal Nacional, quando repentinamente surge a seguinte frase ou uma frase semelhante a esta:
“----- Não perca já a seguir, neste Jornal Nacional, a história do rapaz que se esqueceu do guarda-chuva em casa, num dia em que chovia bastante -----“

----- E agora, para terminarmos o nosso Jornal Nacional, vamos divulgar-lhe uma notícia muito importante: Um rapaz, que é nosso vizinho, saiu hoje para a escola numa altura em que não estava a chover, tendo deixado o seu guarda-chuva dentro da sua casa. Quando se encontrava a meio do caminho, começou a chover bastante. O rapaz, sem guarda-chuva, ficou com a camisa um pouco molhada e diz-se ( fonte credível ) que terá chegado ligeiramente atrasado à primeira aula. Vamos de seguida em directo para a escola do rapaz, onde o iremos entrevistar, após as entrevistas à sua professora, ao seu encarregado de educação, aos seus familiares, amigos e todos os transeuntes que queiram aparecer na televisão. Tudo isto depois de um breve intervalo de 20 minutos. Até já. -----

quarta-feira, Junho 18, 2003

11 - UMBIGUISMO?

  Hum...188 alucinados visitantes desde as 0 horas de hoje? Andam à procura de quê? Deve haver alguma confusão! Este não é um site de sexo nem de telemóveis! Está tudo doido? Quem são vocês? ... falem mais alto, porque assim não ouço! O quê? Masoquistas? Têm prazer em ler mensagens escritas por loucos? Pronto, assim seja! Se isso vos faz sentir bem, vão lendo as dez mensagens que estão por baixo desta, porque hoje não vão aparecer aqui mais! Nem esta! Estou a escrever isto mas depois não publico! A quem é que interessa uma mensagem destas? Mensagem? Pode-se chamar mensagem a uma coisa destas?

  ( Está tudo doido, mesmo! Este mundo está perdido! Senhora enfermeiraaaa! Importa-se de me abrir a porta? Estou recuperado! Vou sair deste hospício. Já falei com o senhor director e ele concordou......ui, acreditou? Abriu-me a porta? Senhora enfermeiraaa, volte aqui! Estava a brincar! Não falei com o senhor director. Pode voltar a prender-me! )

PS: Qualquer semelhança entre este último "diálogo" e uma cena do filme dos Monty Python - "A vida de Brian" (em que um prisioneiro escolheu "Liberdade", quando questionado sobre a sua preferência entre morrer crucificado ou morrer em luta com os leões, tendo posteriormente recusado a libertação que lhe havia sido concedida ...não vou agora contar o filme todo! Comprem-no! ) é pura coincidência!
  Ou melhor, é uma daquelas coincidências que faz lembrar o que aconteceu com Clara Pinto Correia, quando alguém reparou que ela havia escrito um artigo na revista Visão que era (por acaso) igual a um artigo escrito por outra pessoa, na revista New Yorker. Coincidências!

terça-feira, Junho 17, 2003

10 - PURETUGÊS

  Após a pesquisa no Portal do Governo, para concluir a mensagem anterior, tive a oportunidade de rever um antigo ministro das Finanças denominado Jorge Braga de Macedo. Visitando a sua página pessoal, pude verificar que este senhor professor catedrático é um dos milhares de portugueses que não sabem conjugar o verbo intervir, mas que insistem em tentá-lo. Vamos assistir a mais uma tentativa:
«Promovi activamente a candidatura de Lisboa à reunião mundial de 1992, na qual "intervi" enquanto Ministro das Finanças de Portugal.». Esteve quase, só faltava um "m" no fim. Não desista! Continue a tentar!

  Se entrarmos no site Infocid, cuja informação é da responsabilidade do Ministério da Justiça (com símbolo e tudo), verifica-se uma nova tentativa de conjugar este verbo. Vamos assistir: «Quando tiver "intervido" no processo como juiz...» Ah,quase! Voltou a faltar uma letra...agora foi um "n" antes do "d". Isto é bonito! Vai-se ao Google, escreve-se uma calinada e aparece sempre alguma página com ministros. Seguinte!

  Nova tentativa, agora no site oficial de uma Câmara Municipal (não sei se há algum ministro ou ex-ministro pelas redondezas, mas é provável): «Por último, "interviu" José Socrates». Oh, agora falharam mais do que uma letra! Que mania de usarem palavras difíceis! Para a próxima tentem assim: conjugam o verbo vir (se conseguirem) e colam-no à frente da palavra "inter". Por exemplo, ele veio. Pegam no "veio" e fazem copy. Depois pegam em "inter" e fazem paste do "veio". Fica interveio. Continuem a tentar porque estão quase lá!

  Há algum tempo, outro antigo ministro ( Jorge Coelho ) teve também a sua oportunidade de nos ensinar uma nova maneira de pronunciar "hão-de". Era simplesmente "hadem" ( Não sei ao certo se ele pronunciava com ou sem hífen, mas não deixa de ser uma palavra bonita).

  Mas o que me irrita mais é a utilização abusiva da letra "s" por grande parte da população: Tu disseste(s), tu fizeste(s), tu falaste(s)! ISTO É PROFUNDAMENTE IRRITANTE! TIREM OS "S" DO FIM! DIGAM: TU FIZESTE! OU VÓS FIZESTES! TU FIZESTEs, NÃO! LARGUEM-ME! ENFERMEIRAS, AQUI? AAAAAAAA! COMO É QUE ME ENCONTRARAM? EU ESTOU CALMO! AAAAAAAAAAAAAAAA! LARGUEM-ME! AO MENOS PODIAM TER VINDO DE TANGA! NÂO PRECISO DA CAMISA DE FORÇAS! LARGUEM-ME!

  Nota escrita pela enfermeira a pedido do JB(sob sedativo): A partir deste momento, qualquer erro que encontrem neste blog será apenas uma tentativa de candidatura ao lugar de ministro, por parte de JB. Se encontrarem gralhas, serão gralhas propositadas! Este blog é previamente corrigido por Aníbal Cavaco Silva, que não erra e raramente tem dúvidas.

segunda-feira, Junho 16, 2003

8 - NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA

  Há alguns meses, no hospital psiquiátrico onde eu estava internado e do qual fugi recentemente, fui obrigado a realizar um teste que permitiria verificar o grau da minha insanidade mental.

  Visto que também tenho dúvidas relativamente ao grau de insanidade de alguém que esteja neste momento a ler este texto ( talvez uma vírgula desse jeito na frase anterior, mas não sabia onde a colocar e agora já estou na linha seguinte ), decidi divulgar o teste nas linhas que se seguem ( não é nas próximas linhas, é mais abaixo...sim, aí onde diz Início do Teste).

  A solução encontra-se no fim desta mensagem. Caso seja a primeira vez que realiza qualquer tipo de teste, gostaria de avisar que a solução de um teste só deve ser lida após a resolução do mesmo. Caso não saiba o que significa a palavra teste ou não saiba ler, divirta-se com isto, enquanto eu transcrevo o teste:

  - Início do Teste:
  O objectivo deste teste é simplesmente contar com bastante rapidez o número de vezes que a letra "F" aparece no seguinte texto em inglês, sem utilizar o rato:


FINISHED FILES ARE THE RE-
SULT OF YEARS OF SCIENTIF-
IC STUDY COMBINED WITH
THE EXPERIENCE OF YEARS



 - Solução:
  Caso ainda não tenha contado, não leia o texto que se segue. A solução não é três, nem quatro ou cinco. Seis era a resposta certa. Se não chegou a este valor, informe-me qual foi o resultado que obteve através dos comentários (aqui em baixo), de modo a poder candidatar-se a ocupar a vaga que eu deixei no hospício.

sábado, Junho 14, 2003

6 - CABALA

  No editorial do Jornal Público de ontem (Sexta-feira), José Manuel Fernandes refere a dada altura o seguinte:
" Não era pois por acaso que, ontem, na blogosfera se lamentasse a perda de qualidade dos debates e até das mensagens enviadas para os blogs. "

  Dado que o meu blog foi criado exactamente no dia a que José Manuel Fernandes se referia, é notório que com esta frase, este senhor está a tentar montar uma cabala contra a minha pessoa, de modo a desincentivar-me de continuar a enviar mensagens sem qualidade para este blog!
  Foi totalmente desleal comigo! Podia ter-me criticado directamente e em privado. Não tinha necessidade de o fazer através de indirectas, no editorial de um jornal nacional.
  Não desistirei! Vou continuar a enviar mensagens sem qualidade. Incluindo esta, que estou a terminar neste momento. Só falta carregar ali no botão Post & Publish.

PS: Em relação ao editorial de há uns dias, em que criticava a roupa vestida pelo juiz responsável pelo processo da Casa Pia, gostaria de sugerir a José Manuel Fernandes o lançamento de uma colecção Outono-Inverno para juízes, da sua autoria.

sexta-feira, Junho 13, 2003

4 - CONTINUAÇÃO DO POST ANTERIOR

    Até este momento, passaram ali na rua 817 automóveis.
- 3 deles eram conduzidos por mulheres bo...ahn...por lindas donzelas e foram alvo de uma falsa operação stop deste senhor que aqui escreve, sendo posteriormente encaminhadas para casa do mesmo senhor que aqui escreve.
- 414 eram conduzidos por políticos do PS e tinham como destino o DIAP, no âmbito do processo da Casa Pia.
- 301 eram conduzidos por militantes do PS de Felgueiras e perseguiam os 414 anteriores com tacos de basebol azuis.
- Os restantes 99 dirigiam-se para o aeroporto em automóveis azuis e afirmavam em lágrimas: «Só quando chegarmos ao Brasil é que seremos informados da prisão preventiva. Claro que só vamos passear até ao Rio! Somos inocentes...até podemos citar o "padre" Frederico - "Eu sou inoceintxe!"»

quinta-feira, Junho 12, 2003

3 - PUBLICIDADE/GRAXA

    Caso se encontre enjoado ou enojado após a leitura das mensagens anteriores (responsabilidade da direcção do blog suspenso temporariamente), tomo a liberdade de sugerir a leitura de um dos melhores blogs já criados, mas que se irá tornar rapidamente num blog também desactualizado, graças a uma polémica com um blog semi-humorístico (semi-humorístico devido às intervenções de militantes do Bloco de Esquerda, partido que nos faz rir com as suas ideias ridículas).

    Se preferir um humor com qualidade, poderá visitar um blog criado por alguns elementos das Produções Fictícias: Gato Fedorento. Também com qualidade, mas com uma linguagem menos politicamente correcta, poderá ler este blog.

    Aconselho também ( sim, eu sei que os conselhos de um maluco desconhecido são perturbantes, mas aquela cruzinha no canto superior direito serve para alguma coisa; ainda não carregou? Ok, eu espero! Vou continuando a escrever, entretanto ) os excelentes blogs que se seguem:
- Pastilhas, de Miguel Esteves Cardoso
- Bomba Inteligente, de uma fã do Pastilhas e da qual eu também sou fã
- No Quinto dos Impérios
- Blogue dos Marretas

    Depois continuo...agora vou fazer qualquer coisa mais interessante como contar o número de carros que passam na minha rua, ou algo do género.

2 - INFORMAÇÃO DE ÚLTIMA HORA

    Alguns minutos após a decisão de criação deste blog, a gerência reuniu e tomou a decisão de o suspender temporariamente até ao ano 2016 (parte da tarde). Esta decisão baseou-se na actual impossibilidade de criaçãoo de embrulhos com jornais on-line. Segue-se um período de meditação de alguns anos, na tentativa de descobrir alguma utilidade para este blog.

    Até essa data, este blog encontra-se alugado a um senhor "JB" cujo curriculum vitae inclui o internamento num hospital psiquiátrico durante 11 anos. Acabou por fugir desse hospital em Maio de 2003 e está neste momento escondido no Rio de Janeiro, sendo o actual professor de representação teatral da senhora Felgueiras!
    No seu curriculum consta já o discurso de ontem da referida foragida, que se tratou de uma sabotagem do senhor JB, especialista em incentivar personagens que possuem grandes potencialidades para se auto-ridicularizarem. Estando este senhor ciente da incapacidade desta máscula senhora para chorar, incentivou-a a fingir que chorava, de modo a poder divertir-se quando em directo verificasse que nem uma lágrima caía, apesar das variadas tentativas de o fazer.

A DIRECÇÃO (assinatura ilegível)

1 - O DRAMA! O HORROR!

    Gostaria de dar as boas vindas aos leitore(a)s do "Desactualizado e Desinteressante", versão on-line do mundialmente famoso jornal homónimo, escrito em português e com grande sucesso de vendas em todos os países de expressão não-portuguesa.

    Tornou-se um jornal recordista de vendas a partir do dia em que um pescador do Liechtenstein descobriu que o papel era bastante apropriado para embrulhar as minhocas que costumava utilizar como isco. Os outros pescadores aderiram à magnífica descoberta e as vendas deste jornal não mais pararam de crescer.